Mal do Século.. Passado, Presente ou Futuro?

Quem nunca sofreu por amor que atire a primeira pedra...

Quero falar hoje de um assunto que me incomodou durante esta ultima semana... o mal do século, o romantismo solitário, a depressão e seus males...

“Maldita é a vida que nos engana, Adorada seja a morte que nos ama, Somos vermes nesta existência insana, Amor! como é bela e triste esta dama.” - “Tendo você em meu corpo, Engano qualquer sofrimento. Admiro e idolatro este momento, Momento pacífico e sereno, Odiar a vida, eu me esqueço.” – Estes dois versos eu tirei de um site que fala sobre o mau do século – o romantismo extremo e assumido por homens e mulheres de uma época bem diferente da nossa. Há quem diga que ninguém morre mais de amor, do tal mal do século, mas, será que estamos muito longe deste mal?

Li a uma matéria estes dias dizendo que no futuro a depressão será a doença que mais atacará as pessoas...

Isto me deixou aflita porque mesmo antes de ler, eu já estava aqui com meus pensamentos analisando o comportamento de várias pessoas que conheço (real e virtual). Comecei a pensar que a aflição das pessoas por viverem em um mundo que não está bom para elas em suas visões e na realidade também, independente dos diversos pontos de vista que existem, a deixam tristes e deprimidas.

As pessoas sempre buscam um alguém para deixá-las felizes, seja namorado ou namorada, vejo que existe certa ânsia das pessoas por participarem às outras o que passa em suas cabeças, seus medos, aflições, confusões, dores, dificuldades, enfim, são diversos os motivos para isto.

Digo isto porque geralmente a depressão (no sentido de tristeza, mágoa, solidão, etc.) está mais presentes nos solteiros e quando é argumentada sobre a parceria inexistente, a tristeza que lhe chega à face é nítida. Claro que há “N” outros males, mas parece que esta é a que mais ataca às pessoas mais jovens. Até porque, é nesta fase que começa a suas próprias questões, casamento, namoro..

E, vejo que há muitas pessoas (e me incluo nesta lista) que precisam de alguém para compartilhar a sua vida, para tirar o peso que é viver e acabam se entregando a um estado depressivo que nem sempre é diagnosticado pelos seus amigos e/ou familiares.

Como agora estou por dentro da “Blogosfera”, consigo perceber que as pessoas se sentem mais confortáveis em se abrirem neste espaço, uma vez que a identificação pessoal ou mesmo do texto nem sempre é revelado como a realidade de seu interior, podendo até mesmo ser descrito como “uma ficção”.

Seja ela inventada ou real, a questão é que tem muita gente sofrendo neste mundo, e quando li a matéria, percebi que de fato isto é questão de tempo. Tempo para que estas pessoas que estão interiorizando as coisas acabarão expondo tudo isto para seu contexto real...

Antigamente eu achava que todo mundo tinha alguém e eu era a patinha feia da história que seria a infeliz e etc. e tal, porém, sob esta nova visão, não sei mais quem está feliz ou triste.

E o meu pensamento é: O que será de nós? O que tem acontecido conosco? O que nos tem deixado tão tristes a ponto de sermos questionados, abandonados ou mesmo julgados e condenados por nós mesmos à tristeza eterna?

Tem um link que achei interessante partilhar: DEPRESSÃO - A DOENÇA DO FUTURO.

Difícil né.. O que vocês pensam sobre este problema?

Comentários

Fran disse…
Sil, que texto hein menina. Me fez pensar aqui 'sozinha'.
Quando eu estudei o 'Romantismo' em literatura e descobri que naquela época se morria de amor, eu pensei: Tah! Mas como assim morrer de amor? Isso não existe.
Mas depois vi que era real, os homens apaixonados e 'sozinhos' tinham vida média de 4o anos.
E o pior é ver que mesmo depois de tantos anos o mesmo acontece.
Não digo morrer, mas na minha opinião, seria essa a causa da 'depressão do futuro'.
Adorei teu texto ea reflexão :)

Beeijão!
Isso mais a "frase da semana" mereceram uma postagem no meu blog, engraçado como vc conseguiu "achar" minha perturbação afetiva.

Bjo, e obrigado!
Tainá Facó disse…
Eu sempre achei a depressão uma grande falta de Deus. Seja ela qual for, como for, quando for. Para mim, é ausência, escassez de Deus.
Sua reflexão foi ótima.
E não poderia deixar de agradecer cada passadinha que você dá no meu blog, eu adoooooro receber suas visistas, viu! de verdade! e se nao venho aqui com fequência, é por pura falta de tempo! Mas prometo tentar vir mais!

beijao, flor. Cuide-se!
Solange Maia disse…
Silvia,

Belo texto.
Realmente essa "sensação de solidão" tem acometido muita gente, e gera sim depressão...

A gente deve tentar sair desse estado, se ocupar com coisas prazerosas, escrever, ouvir belas canções.... enfim, uma hora vai aparecer o cara certo ! ... ou o afeto certo....

um abraço carinhoso....
Luna Sanchez disse…
Sil,

Conhece Flávio Gikovate? Eu o conheci há pouco tempo, através do texto desse link :

http://jspimenta.spaces.live.com/blog/cns!54FA352A9C526C4B!698.entry

Fiquei encantada, porque penso exatamente assim. Talvez por isso, não me sinta tão afetada por essas causas da depressão, que, pelo que também observo nas pessoas, foram muito bem citadas e exploradas no teu texto.

Beijo, querida, e um excelente feriado pra ti. ^^

ℓυηα
Sil!
Mergulhou fundo no tema.
Mas eu acho que o "Mal do século" é o maldito medo de demonstrar amor, como se fosse pecado amar.

(fiquei feliz que tenha gostado do post e muito mais por saber sentir)
Bjos
Clau disse…
Sil, acho que as pessoas tem atribuido muito ao outro a responsabilidade por sua própria felicidade, quando na verdade, primeiro temos que ser felizes com aquilo que somos, independente de encontrar ou não, no outro o reflexo de nós mesmos.
É se amar, se admirar, ser feliz por aquilo que se é.
Enquanto buscarmos no outro a felicidade seremos cada vez mais infelizes e consequentemente abriremos as portas para várias patologias, dentre elas, a depressão.
Bjocas
Clau
Clau...

Então...
Mas o fato descrito no texto não é colocarmos no outro a nossa felicidade... o que descrevi foi a idéia de que, se tivermos alguém X, a nossa vida será feliz...

Não estou aqui dizendo que somente serei feliz no momento em que ELE me fizer feliz.. mas o fato de apenas estar com ele eu já serei feliz...

Assim é a nossa vida, estamos felizes ao lado de quem escolhemos... não é ele .. mas nós...

Entende??

Não é culpa de ninguém.. não é responsabilidade de ninguém.. é apenas o tesouro que se acha e o guarda em um lugar seguro.. e é o tesouro, não a pessoa, é no tesouro que está o amor e a busca da minha felicidade...

Meu tesouro está escondido, esperando a outra pá para que, ao cavarmos, sejamos felizes juntos....

Bjos
Bia disse…
Só digo uma coisa: ser sozinha é ruim demais!
acho que pior ainda é gostar de alguém que não dá a mínima pra vc e não conseguir tirar pessoa da cabeça, aí é o fim.

Beijo pra tu!
Clau disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Clau disse…
Eu entendi Sil, e desejo, de todo meu coração, que quando o tesouro for encontrado o dono do tesouro encontre alguém com a auto estima lá no céu!! alguém feliz e pronta para amá-lo e dividir com ele esta pessoa linda que é.
Boa sorte querida, seeeeeeeempre!!!! Vc sabe o quanto torço por vocêS rs
bjbjbjbj
Thomaz Ribeiro disse…
Gostei desse texto. A questão da felicidade sempre me inquietou, talvez tenha sido até esse motivo que me levou a fazer filosofia. Nunca entendi por que vivíamos num paradoxo em que ora estamos alegres, ora estamos tristes. Infelizmente creio que a tendencia seja piorar, haja vista que as pessoas tendem a se isolar mais e mais em suas própria ilhas de egoísmo. Às vezes o mundo não dá voltas.

Postagens mais visitadas deste blog

Família é Família... Agregados também!!!