Tanto no pessoal quanto no profissional...

Conhecida esta frase, grande Faustão (embora agora ele esteja um pouco magro).
Mas não estou aqui para falar dele, mas sim sobre nossas vidas.

Já perceberam como tem gente que não consegue expressar seu lado pessoal sem expor tanto seu lado profissional? O contrário também, as pessoas falam tanto das suas vidas pessoais que nem parece que trabalham.

Quando devemos separar uma coisa da outra? Eis a minha questão.

Conheço gente que simplesmente não consegue conversar sem falar sobre o trabalho. “Porque fiz isto, fiz aquilo, avançamos XYZ em um projeto, no meu blog eu falo sobre este assunto bem mais detalhado, estou me aprimorando nisto e naquilo.” Dai eu pergunto: E daí? Tem alguma coisa mais interessante na sua vida sem que seja o eu trabalho?

Eu confesso que ultimamente minha vida não tem sido nenhum conto de fadas que dê gosto de expor à todos que conheço e até os que eu não conheço (como é o caso deste cantinho). Mas espera um pouco, ninguém é uma máquina de trabalhar, ninguém vive só de trabalho. As pessoas não dormem nos seus trabalhos, não se casam com eles, não tem filhos, não fazem comida e tudo o mais com seus trabalhos. Que tal deixar “às vezes” este assunto um pouco de lado e falar de algo mais interessante, como por exemplo, qual a viagem que gostaria de fazer, qual o nome do seu cachorro, com quantos anos você deu seu primeiro beijo ou mesmo qual o livro/filme que mais gostou.

Há tanta coisa para se conversar, tanta coisa para se falar. Não sei se é porque eu estou tremendamente desanimada com o meu trabalho, mas eu realmente gostaria que as pessoas pudessem separar as coisas. O que é pessoal fica no pessoal, o que é profissional fica no profissional. Às vezes é necessário comentar uma coisa ou outra nos dois ambientes, mas... Vamos maneirar a dose não é pessoal?

Fica a dica...

Comentários

Anônimo disse…
Concordo, até porque oito horas já é o suficiente, mais que isso pode matar de overdose rs.

Beijoooos
Priscila Rôde disse…
Concordo Flor.
As vezes fico um pouco sem paciencia pra escutar sobre trabalhos. Gosto tanto de pessoas que cometem erros, que sentem, que tem suas necessidades e gosto de ouvir bem mais sobre isso.

Um beijo.
Fran disse…
Vou ser sincera: confesso que não li toda a postagem, motivo a pressa... mas não posso deixar de comentar pq li o 'comunicado de retorno' e fiquei mto mto feliz com sua volta definitiva e suas postagens sempre tão críticas :)

Beijos querida!
super concordo.
cresci vendo meu pai se dedicar MTO ao trabalho e decidi: não é isso q qro pra minha vida.

=)
Gilmara S. disse…
Eiiii
Mto obrigada pelo carinho eqto estive fora... Tô de volta!!! uhuu
rs Bjosss
Nara disse…
Sil,
eu preciso de um trabalho o.o

*isso é um problema pessoal que afeta o profissional rsrsrs*

Beijo, flooor!

Nara
Anônimo disse…
Sil, para conversar sobre o trabalho já existem as enfadonhas reuniões profissionais.
Conversar mesmo é contar coisas interessantes que vivemos ou observamos no nosso dia a dia. Isso é gostoso porque eu vejo as coisas com minha ótica e você com a sua. Somos todos diferentes e sentimos as situações de acordo com nossos hábitos. Assim a gente "troca figurinhas" interessantes e tem vontade de não parar mais de conversar. É o famoso "papo furado", muito bom e mais aconchegante.
Beijos saudosos de bons papos.
Manoel.

Postagens mais visitadas deste blog

Família é Família... Agregados também!!!