Invejável, Irresistível ou Insuportável?

Afinal, o que faz as pessoas se manterem afastadas de você?

Perguntinha interessantíssima para um domingo a noite... Pois bem, a resposta é:

Não sei! Simples assim..

Dai, pensei em algo melhor do que questionar o porque as pessoas ficam afastadas de mim, até porque eu confesso que eu quis muito isto, mas como a dúvida veio, achei interessante questioná-la.

No entanto, achei um texto muito interessante sobre a questão de ficarmos bem enquanto sós. Tenham uma ótima leitura e, claro, uma ótima semana para todos.

Um dos motivos fundamentais que gera ansiedade e tristeza em se ficar só está relacionado com a questão da escolha.

Dificilmente, as pessoas escolhem ficar sós, elas são deixadas sós...

Desde pequenos, a idéia de " ficar só " nos é passada apenas como algo ruim e vinculada a pessoas que não conseguem ser amadas ou aceitas, à dificuldade que têm de viver em relação e assim por diante.

E, assim, "crescemos", rejeitando e temendo a solidão, jamais vendo nela um caminho.

Não é raro conhecermos pessoas que fogem dela a maior parte do tempo e, ironicamente, elas mesmas a geram. E, justamente por temê-la, justamente por vê-la apenas como um estigma e uma situação injusta, essas pessoas são "deixadas sós".

Quando você é deixado só, o mundo perde o encanto e a vida perde em prazer. Torna-se difícil achar graça no que é só seu. Parece que a criança que existe dentro de cada um reclama por uma platéia que a aplauda, que confirme sua existência.

Entretanto, se você opta por ficar só, por reconhecer que este é o melhor caminho, naquele momento, a vida e o que o cerca não perdem a cor, pelo contrário, tomam nuances desconhecidas e libertadoras.

De repente, você pode estar pensando: “Mas eu não acredito que alguém queira ficar só! “

Você se esqueceu do que foi dito? É uma questão de escolha, escolha assumida, e não um mero querer por querer.

E, na vida, existem vários momentos em que esta escolha pode ser muito boa. Não sei se você vai concordar comigo, mas aí vão algumas situações:
· Quando você prefere ficar só a fazer o que não lhe dará prazer, mas somente ao outro.
· Quando você se despede de alguém que faz com que você se sinta sozinho, apesar de acompanhado.
· Quando você está à procura de si mesmo, de suas verdades, de seu centro.
· Quando você quer se sentir livre, dar força aos seus desejos e sair da gaiola.
· Quando você quer perder o medo de não conseguir viver sem alguém ao seu lado.
· Quando você termina um relacionamento e precisa de um intervalo para reconstruir seus valores, antes de se envolver novamente.

Entretanto, antes de qualquer coisa, você tem que sentir a necessidade desta escolha, em função de seu bem-estar.

Fica difícil reconhecer as vantagens deste momento, quando o outro nos deixa, quando não temos metas, quando desqualificamos nossas necessidades e desejos, quando não nos apropriamos de nossa história, quando só sabemos viver em função de alguém, quando brigamos com a realidade e não aceitamos o fato de que podemos nos relacionar e estar com, mas só estar com, e não ser preenchido pelo outro.

Quando a escolha é nossa, porque reconhecemos que, assim, nossa vida será mais saudável, a gente consegue se sentir forte por dentro, aberto para o mundo que é vasto, diverso, rico em situações e trocas e que nos acompanha até o final. - Elisabeth Salgado

PS: Deixo aqui um abraço em especial para o Manoel, que sempre está presente me acompanhando... agora está meio difícil de responder os comentários ou mesmo acessar outros blogs.. mas não quero deixar de reconhecer qualquer carinho!

Comentários

Andréa Silveira disse…
Muito legal o texto. Eu já quis ficar sozinha por quase todas as situações citadas. Eu nunca tive medo de ficar sozinha, mas de me sentir só, de não gostar mais da minha própria companhia. Acho q aprendemos mto qdo estamos sozinhos. Beijos!
Nara disse…
Oi Siiil,

(Obrigada pelas palavras lá no Céu )

Eu não gosto de ficar sozinha, quer dizer, em casa eu gosto, na rua quando eu estou rodeada de gente, eu não gosto de ficar sozinha.

Eu sei, às vezes é bom e necessário, e nesses dias eu respeito o meu espaço e me deixo só, mas normalmente eu encaro isso como uma coisa ruim, como uma auto sabotagem.

Beijo,
Nara
silvioafonso disse…
.


Ufa!
Como fala essa gente.
Fala disso, daquilo. Fala de
coisas de gente.
Fala de festa, das mães. Mãe?
Ih, gente. Domingo é o dia delas,
quer dizer; de contar os trocados
guardados propositalmente para o
seu presente. Todos os dias eu
deixo algumas moedas e poucas notas
em uma gaveta, na última gaveta de
uma cômoda no canto lá no fundo do
meu quarto e só para não me ver
tentado e tirar o que é dela. Ela
que todos os dias me dá carinhos,
impagáveis, sorriso inigualável e
amor imorredouro.

Um beijo às mães, cujos filhos, não
ciumentos, me permitam dar.

Um beijo D.Maria, minha mãe. O seu
nome principia na palavra amor;
de meu amor.

silvioafonso









.
IsaBella disse…
Oi Sil!!
^^

Eu acredito que as pessoas se auto excluem, muitas vezes...
Eu sou assim!
As vezes, eu me excluo... mas, eu tenho a impressão de ser excluída, sabe?!?

Não gsto da solidão! as vezes preciso ficar só... mas, sou poucos momentos... gosto de companhia!
^^
não sei ficar sozinha, pq acho q a vida perde o sentido, o brilho... sabe?!?

Tava com saudades daqui!!!
=)

beijinhussssss
Ei Flor, tô ótimo e você como está???
Eu fiquei um tempo fora da órbita, mas agora voltei com toda a firmeza de um "prego fincado em um prato de angú", rs...

Valeu pela vizita "lá em casa", rs!
Bjin!
Altavolt disse…
Achei bastante corajoso da sua parte abordar um tema tão difícil quanto a solidão, cara Sil! Estamos precisando de pessoas que ousem falar de assuntos mais ásperos, mas nem por isso menos importantes e eventualmente presentes na vida de todos nós. Grande beijo!

Postagens mais visitadas deste blog

Família é Família... Agregados também!!!